ReforçarIdentidadeReforçar a Identidade. Valorizar o Património - Exposição
"Do Carvão aos Resíduos" - visualização do filme de Rui Simões
3 de janeiro | 21h30 | Centro Popular Trabalhadores Unidos ao São Pedro da Cova

A revolução de 25 de Abril de 1974, que coloca fim ao Fascismo e consequentemente a um vasto conjunto de constrangimentos à população portuguesa, dá origem a um período de atividade revolucionária denominado por PREC – Processo Revolucionário em Curso. No decurso do PREC, assistiu-se a uma série de progressos para a vida do povo português de Norte a Sul do país, desde a luta pelo efetivo direito à habitação com projetos como o SAAL, à tomada da terra por quem a trabalha como se viu na Reforma Agrária. O povo português encontra na luta organizada o caminho para uma vida melhor. No entanto, a convergência das forças reacionárias leva a cabo uma agressiva campanha que põe fim ao PREC a 25 de Novembro de 1975. Termina assim um dos períodos mais progressistas da História de Portugal.
A atribuição ao povo da capacidade de resolução dos seus problemas traduziu-se, por exemplo, na criação de comissões de trabalhadores rurais, comissões de operários e comissões de moradores. É neste contexto de Poder Popular que acontece o 22 de maio de 75 em São Pedro da Cova: ocupação de edifícios da Companhia das Minas de Carvão de São Pedro da Cova, tendo como intervenientes os alunos e professores da escola D. Afonso V, moradores do bairro mineiro do Passal, moradores da Bela Vista e o grupo de teatro Circulo Independente. Está criado o Centro Revolucionário Mineiro (CRM). Aqui desenvolvem-se atividades de índole cultural, recreativa, desportiva, social, económica e de apoio à infância, como parques infantis, espetáculos de teatro, teatro de fantoches, espetáculos musicais e eventos desportivos. Destaca-se ainda a abertura do Museu Mineiro, bem como um Sarau de Arte nos quais participaram elementos do Teatro Universitário do Porto e o GAC – Vozes na Luta, com a participação do cantor José Mário Branco. De ressalvar ainda a produção do filme “São Pedro da Cova”, produzido pela Cooperativa VIRVER e realização de Rui Simões. Filme que retratada a realidade da comunidade mineira de São Pedro da Cova.
Se a luta pela atribuição à freguesia do património edificado da Companhia das Minas não foi alcançada, outras foram. Exemplos disso são a consciencialização política e social da população, a atualização das reformas e pensões de invalidez dos antigos operários, a alfabetização da população e a preservação de elementos que permitem hoje o estudo da história da exploração mineira em São Pedro da Cova.
Durante o ano de 2020, ano em que se assinalam os 85 anos sobre a construção do cavalete do poço de São Vicente, os 50 anos do encerramento das minas, os 45 anos da ocupação do património mineiro (CRM) e os 10 anos de elevação do Cavalete do Poço de São Vicente a monumento de interesse histórico, a Junta das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova promoverá uma série de atividades que visam Reforçar a Identidade de São Pedro da Cova, bem como Valorizar o Património. E esta exposição é uma delas.