O Agrupamento de Escolas de São Pedro da Cova, a Escola Secundária de São Pedro da Cova e a Escola Profissional de Gondomar em parceria com a Junta das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, vão organizar, no próximo dia 15 de novembro, pelas 10h00, um Cordão Humano pelo Ambiente, que visa alertar para a  Remoção Urgente e Total dos Resíduos Perigosos de São Pedro da Cova.
O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que a remoção dos resíduos perigosos era uma prioridade para o Governo, mas a remoção da totalidade dos resíduos continua a ser adiada.
A Junta de Freguesia e a população têm travado uma luta incansável, pela remoção da totalidade dos resíduos perigosos, facto que foi determinante para que os mesmos fossem, parcialmente retirados em 2014/2015. Após essa “primeira” fase, um novo estudo quantificou a existência de mais 125 mil toneladas de resíduos perigosos em São Pedro da Cova. Foi feito novo concurso e alocado mais 12 milhões de euros para completar a remoção. O Governo anunciou que em 2018 terminaria a segunda fase de remoção, mas ela nem arrancou.
A Junta de Freguesia, ainda durante este ano, enviou 10.000 postais assinados pela população, ao Primeiro-Ministro.
Há 20 anos que a população de São Pedro da Cova tem de conviver com este crime ambiental, e por essa razão, exige que este problema seja tratado com a máxima urgência. A Junta de Freguesia não aceita que o Governo não tenha declarado superior interesse público, de forma a pôr fim a este grave problema ambiental e de saúde pública que afeta a população de Gondomar, em particular a de  São Pedro da Cova, e que, a não ser resolvido, pode ter consequências para toda uma região.
A Junta de Freguesia tudo fará pela total remoção dos resíduos perigosos de São Pedro da Cova e respetiva requalificação da área afetada. Enquanto este problema ambiental subsistir, não deixaremos de lutar.